Problemas cardíacos e saúde bucal, como estão relacionados

Sem comentários

A falta de cuidado com a higienização dos dentes pode causar grandes inconvenientes no cotidiano do paciente, como o mau hálito e cáries. 

No entanto, a relação entre os problemas cardíacos e saúde bucal pode estar mais associada aos hábitos de escovação.

De acordo com o Ministério da Saúde, anualmente, cerca de 300 mil brasileiros sofrem infarto do miocárdio. 

Entre as principais doenças cardiovasculares, acredita-se que aproximadamente 45% do total sejam originadas pelo espalhamento das bactérias bucais.

Esse quadro pode ser ainda pior se considerarmos que um paciente que apresenta uma periodontite – inflamação dos tecidos de sustentação dos dentes – em nível moderado, já possui duas vezes mais chances de desenvolver doenças do coração.

Entretanto, para saber como se proteger desses males é necessário entender, primeiro, como as patologias bucais podem atacar o sistema cardíaco.

Pensando nisso, listamos a seguir alguns dos principais pontos sobre o assunto.

A ação bacteriana na saúde bucal

A flora bucal é composta por inúmeros tipos de microrganismos que são essenciais para a realização da digestão dos alimentos e para a proteção dos dentes.

No entanto, a deficiência na higienização favorece a reprodução de algumas espécies de bactérias, que são prejudiciais à saúde da boca.

Esses organismos realizam a fermentação dos açúcares e causam cáries, placas bacterianas e o tártaro. 

Quando estas formações se estabelecem na superfície dos dentes, especialmente na base, iniciam-se os processos de inflamação gengival.

Ademais, a gengivite é a versão mais leve das doenças inflamatórias, sendo que ela pode ser facilmente curada.

Além disso, o caso apresenta sintomas como sangramento durante a escovação, inchaço e vermelhidão na região afetada.

Contudo, se esses sinais não forem tratados a tempo, as bactérias passam a atacar os tecidos mais profundos do dente e os ossos de sustentação. 

Esse caso é chamado de periodontite e os danos não podem mais ser revertidos.

Como a saúde bucal afeta os problemas cardiovasculares

As feridas provocadas pela periodontia facilitam a entrada das bactérias na corrente sanguínea e espalham a infecção para todas as partes do corpo.

Elas podem causar problemas gastrointestinais, propensão à pneumonia e até provocar o parto prematuro nas gestantes.

No entanto, seu efeito mais notável é quando esses organismos se fixam nas válvulas do coração e provocam doenças bem sérias como:

     Endocardite;

     Aterosclerose;

     Arritmia;

     Derrame;

     Infarto.

Essas enfermidades cardíacas acontecem quando as bactérias formam colônias nas paredes dos vasos, artérias e nos tecidos internos do coração, que impedem a circulação apropriada do sangue e ainda podem levar o paciente a óbito.

Os médicos também acreditam que o próprio corpo pode acabar lesionando as veias que irrigam o coração, por meio da resposta imunológica enviada às inflamações bucais.

Assim, é necessário que o paciente esteja atento aos sintomas da periodontia e procure um dentista caso note alguma dessas ameaças, principalmente para evitar que problemas mais graves afetem o corpo e o organismo no geral.

Saiba quais são os principais sintomas

Por ser uma evolução da gengivite, os sinais da periodontite são facilmente confundidos com a versão mais simples da doença, e isso pode fazer com que o paciente demore ainda mais para procurar o serviço odontológico.

Contudo, mesmo que muitos dos sintomas sejam semelhantes, nas versões mais avançadas de infecções, eles costumam aparecer de forma mais vigorosa.

Os sangramentos, por exemplo, podem ocorrer durante a escovação ou na alimentação, e geralmente em maiores quantidades.

A vermelhidão gengival pode ficar mais intensa e em alguns casos até adquirir uma aparência arroxeada. 

O paciente passa a sentir muita sensibilidade ao toque e até notar os dentes mais alongados, o que é chamado de retração gengival.

A periodontia é, ainda, responsável pelo mau hálito contínuo, a aparição de aftas e o amolecimento dos dentes.

No entanto, ela apenas causará dores se a estrutura de sustentação dental estiver muito comprometida. Neste caso é possível sentir dificuldades ao morder e mastigar os alimentos.

Dicas de como evitar a periodontia

Justamente por ser uma doença que apresenta tantos riscos à saúde geral do paciente, a prevenção sempre é a melhor abordagem.

Ainda que essa doença não tenha cura, o diagnóstico precoce da periodontia reduz as lesões e pode impedir o desenvolvimento dos problemas cardíacos e das perdas dentárias.

Deste modo, é importante se atentar aos costumes do cotidiano que podem estar contribuindo para o desenvolvimento dessas inflamações.

Higienização

A limpeza bucal é fundamental para a remoção das placas bacterianas e para impedir a formação do tártaro, mas ela precisa ser realizada da forma correta e de acordo com a frequência indicada de três vezes ao dia – ou após cada uma das refeições.

Recomenda-se que o paciente escove cada uma das sessões (laterais superiores, laterais inferiores, frente superior, frente inferior) por 30 segundos e sem a aplicação de muita pressão.

Afinal, a força exagerada pode fazer micro lesões nas gengivas e causar a retração permanente.

Ainda que seja mais complicado para quem usa o aparelho


dental invisivel lingual ou o aparelho fixo comum, todos devem passar o fio dental ao menos uma vez por dia. 

Caso não seja possível após cada escovação, é preferível que ele seja usado antes de dormir.

Isso porque, durante a noite o corpo reduz a produção salivar e deixa os dentes mais expostos às ações bacterianas.

Em seguida, deve-se usar o enxaguante bucal como um auxílio na limpeza dos dentes. 

O produto correto para essa etapa deve ser indicado pelo dentista e pode ter em sua composição produtos específicos para contribuir com o controle do quadro.

A higienização do aparelho invisivel móvel e das próteses dentárias deve ser realizada à parte e de forma a remover todos os organismos ali acumulados. 

Não se deve limpá-los com nenhum produto que contenha álcool.

Acompanhamento odontológico regular

Mesmo que o paciente tenha bons costumes com a saúde da boca, as placas bacterianas e o tártaro podem se formar nos cantos de mais difícil acesso.

À vista disto, os profissionais na área concordam que todos os pacientes saudáveis devem realizar consultas de rotina a cada seis meses. 

Já os pacientes cardíacos e diabéticos, uma vez a cada quatro meses.

Essas visitas são essenciais para a remoção de sujeiras que não podem ser retiradas apenas com a escovação.

Além disso, o dentista poderá avaliar a necessidade de manutenção dos procedimentos, como a lente de contato dental, e conseguirá identificar patologias logo no início.

Procedimentos estéticos

A realização dos tratamentos cosméticos é, inclusive, uma boa forma de manter a boca mais saudável – uma vez que eles só podem ser aplicados quando não há doenças em nenhum dente –, e de estabelecer o hábito de comparecer a visitas odontológicas com mais frequência.

Por exemplo, o implante dentário que pode ser um benefício cosmético, mas também ajuda muito o paciente no dia a dia.

Isso porque quando os dentes são acometidos pela periodontia e o paciente vem a perdê-los, o implante é uma forma bem mais conveniente de fazer a reposição.

Isso porque a falta do dente pode prejudicar a mastigação, a fala e a autoestima, enquanto a dentadura pode causar ferimentos bucais e desconforto no paciente, justamente por causa da sua mobilidade.

O valor de um implante dentário pode oscilar de acordo com a quantidade de dentes que precisam de reposição, os materiais utilizados e a condição da estrutura óssea de sustentação.

Atenção com a alimentação

A alimentação está completamente relacionada à saúde dos dentes. O consumo em excesso de comidas industrializadas, gordurosas e açucaradas aumenta a fermentação bacteriana e causa cáries e periodontites.

Do mesmo modo, a ingestão constante de bebidas ácidas como o café, refrigerantes, chás e isotônicos podem desgastar o esmalte dentário e ainda prejudicar a durabilidade do clareamento dental.

Entretanto, as frutas e legumes podem afetar a produção salivar, o nível de acidez bucal e ainda são ótimos aliados para a fortificação dos dentes, a remoção das placas bacterianas e até auxiliam na limpeza da boca.

Por isso, mesmo que não seja necessário parar de ingerir nenhum tipo de alimento, é importante preferir os de origem natural e frescos, como a cenoura, maçã, couve, brócolis e etc.

Além disso, essa alimentação mais leve pode ajudar com o tratamento das doenças cardíacas e no controle dos níveis de açúcar e gordura do sangue.

Conclusão

Quanto mais cedo a periodontia for diagnosticada, melhores são as chances de evitar que as bactérias se espalhem pelo organismo.

Por isso, sempre que o paciente notar sangramento durante a escovação e perceber algum inchaço ou vermelhidão na gengiva, é necessário consultar o dentista o quanto antes.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe da Networkflow, especializada em materiais para network, empreendedorismo e dicas para a saúde e qualidade de vida.

Compartilhe →





Sugeridos a você :

0 Commentários:

Postar um comentário

© 2019 Todos Direitos Reservados.
Sérgio Dias & Desenvolvido por iBarbosa